sábado, 28 de dezembro de 2013

Pôr do Sol

Daqui a algumas horas será o sepultamento do meu sogro.
Assim que soube do falecimento de meu sogro me peguei relembrando uma mensagem do pastor Jason trazida no mês passado.
Ficamos tão descontraídos com a vida, fazemos nossos projetos, traçamos nossas metas e por estarmos no fim do ano, já começamos a fazer a nossa listinha de promessas e objetivos a serem alcançados em 2014 que nos esquecemos de uma lição muito importante deixada pelo apóstolo Thiago no cap.4:14, quando ele diz : “Vós não sabeis o que sucederá amanhã. Que é a vossa vida? Sois como um vapor, que aparece e logo desvanece.”
É como colocar um café bem quente numa xícara, e aí você ver aquele vaporzinho levantando, mas não leva muito tempo e o vapor logo desaparece. Em outras palavras o apóstolo Thiago nos diz que ao ficarmos tão descontraídos com a vida esquecemos que a vida é muito frágil, que não temos controle algum sobre ela, mas que a forma como a conduzimos dirá se temos muito a agradecer ou a se lamentar, e não precisa estar num leito de hospital, ou num estado terminal, às vezes um simples fim de ano é o suficiente para que essas questões venham à tona. Como na música Epitáfio dos Titãs
♪ ♫ Ter chorado mais, ter aceitado as pessoas como elas são, ter complicado menos, ter visto o sol se pôr.♪ ♫ ♩
A forma como conduzimos a nossa vida é uma escolha nossa, não permita que circunstâncias fora do seu controle, como a família que você tem, o ambiente que você vive, as dores que você carrega, determinem a maneira que você tem de conduzir a sua vida, sem querer ser demagoga ou religiosa, coloque todo esse peso, toda essa angústia, todas essas perguntas sem respostas nas mãos do Senhor, porque Ele mesmo disse:
MT 11:28-30
28 Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei.
29 Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas.
30 Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve.
Não deixe para daqui a pouco o que você pode fazer agora. Aquele abraço que você resiste em dá, aquele perdão que precisa ser liberado, aquele telefonema que você vive adiando, aquela presença mais constante com amigos e familiares que você vive dando uma desculpa para não estar mais próximo. Faça, porque não sabemos o que nos sucederá daqui a pouco.

Postar um comentário