sábado, 13 de agosto de 2011

Mãe, A Saudade Vai Ficar


31 de dezembro de 1939 – 12 agosto de 2011
Um mês e dezesseis dias foi o tempo de internação de minha mãe.
Dias de muita angústia, preocupação, estresse e de momentos de total impotência.
Não só de minha parte, mas como também de meus irmãos, noras e netas de minha mãe.
Ver alguém que é precioso para nós sofrer, é muito difícil.
Na madrugada de quarta para quinta foi a mais difícil de todos esses dias, foi a madrugada que minha mãe passou quase que inteira sem tirar um cochilo sequer, angustiada numa agonia sem fim acho que pressentindo que não mais voltaria a ver nos após o exame que faria na quinta pela manhã, um exame que por duas vezes tentou-se fazer, mas que dessa vez tinha que ser feito para se ter um diagnóstico mais preciso.
Em seus momentos de agonia percebi nela o que o salmista Davi sob explicar tão bem nos Salmos 116:3 – “Laços de morte me cercaram, angústias do inferno sobrevieram sobre mim e me vi caído em tribulação e tristeza...”
Por vezes achamos que estamos preparados para tudo, bobagem, não é verdade, sempre a algo em nossas vidas que nos deixa totalmente sem chão, foi assim com Davi, foi com Elias, onde só o Senhor pode acabar com tamanho sofrimento, e esse fim Ele o dar como Ele quer, sabendo que todas as coisas cooperam para o bem dos que O amam.
Vai levar um tempo para esquecermos esses dias, mas a Palavra de Deus nos estimula a trazermos à memória aquilo que nos dar esperança, e não é do momento frágil de minha mãe no qual vou me apegar, mas sim da mulher que venceu muitas batalhas em sua vida e não foram poucas por confiar inteiramente no Senhor, da mulher que em todos os meus aniversários e de meus irmãos, noras, netas, amigas tinha sempre uma palavra Deus para nos fazer lembrar que Ele deve ser sempre o motivo de nosso louvor, vou me apegar no exemplo que ela nos deixou de honrarmos sempre nossos compromissos, de sabermos viver com muito, mas também sabermos viver com pouco, me lembrar dos muitos momentos alegres, em passeios e comemorações...temos muitas coisas boas na qual nos apegarmos.
Tem uma música que expressa exatamente o que vai ao meu coração, cantada pela Bruna Carla.
Segue o vídeo abaixo

Postar um comentário