sábado, 16 de abril de 2011

Um Jantar Diferente


Antes, três informações importantes e básicas:

O primeiro é que esta história se passa em um jantar formal na antiga Palestina. Isso é importante saber porque naqueles dias jantares formais muitas vezes aconteciam em um pátio aberto. Eles eram eventos públicos em que os vizinhos se sentiam livres para vir para o pátio para observar o jantar que estava acontecendo naquele lugar. Eles não eram considerados os convidados, mas eles também não eram tidos como invasores.

A segunda informação, é que era habitual para o anfitrião cumprimentar seus convidados com três coisas:

1. Um beijo de boas-vindas

2. Água para seus pés

3. Óleo para ungir sua cabeça

E a terceira informação se diz a respeito de como era mais ou menos dispostos os convidados à mesa.

A mesa era baixa em forma de U com sofás organizados para que os convidados se reclinassem com suas pernas que ficavam para fora.

Então vamos lá, o evento é descrito em Lucas 7: 36-50

O personagem principal dessa história é Simão o fariseu e ele tem como convidado especial para esse jantar, quem diria, Jesus.

Apesar da maioria das vezes que Jesus se deparava com um fariseu era para que este buscasse encontrar algum motivo para humilhar, prender ou matar à Jesus, nesse encontro o objetivo era diferente.

Simão era do tipo religioso político, ele gostava de estar cercado de pessoas influentes, não se mantinha preso a nada, e Jesus era uma dessas pessoas que ele queria manter por perto, a influência de Jesus era inquestionável.

Mas, um outro personagem entra nessa história para trazer a luz o verdadeiro caráter de Simão.

Se trata de uma mulher não identificada que a Bíblia a descreve apenas como pecadora dando a entender pelo texto que se tratava de alguém que tinha ganhado a fama de prostituta. Ela passa ao redor da mesa e para exatamente onde Jesus se reclinava, Simão observa atônito a ousadia da mulher e o que passa a fazer, aos seus olhos ele apenas enxergava uma mulher buscando acariciar Jesus, e mais atônito ele ficou ao perceber que Jesus permitia, o que fez que ele duvidasse que Jesus era realmente um profeta.

Mas Jesus percebe nitidamente o que se passa na mente de Simão e como quem nada quer começa a expor o seu verdadeiro eu.

Respondeu-lhe Jesus: "Simão, tenho algo a lhe dizer". "Dize, Mestre", disse ele.

"Dois homens deviam a certo credor. Um lhe devia quinhentos denários e o outro, cinqüenta.

Nenhum dos dois tinha com que lhe pagar, por isso perdoou a dívida a ambos. Qual deles o amará mais? "

Simão respondeu: "Suponho que aquele a quem foi perdoada a dívida maior". "Você julgou bem", disse Jesus.

Em seguida, virou-se para a mulher e disse a Simão: "Vê esta mulher? Entrei em sua casa, mas você não me deu água para lavar os pés; ela, porém, molhou os meus pés com as suas lágrimas e os enxugou com os seus cabelos.

Você não me saudou com um beijo, mas esta mulher, desde que entrei aqui, não parou de beijar os meus pés.

Você não ungiu a minha cabeça com óleo, mas ela derramou perfume nos meus pés.

Portanto, eu lhe digo, os muitos pecados dela lhe foram perdoados, pelo que ela amou muito. Mas aquele a quem pouco foi perdoado, pouco ama".

Então Jesus disse a ela: "Seus pecados estão perdoados".

Os outros convidados começaram a perguntar: "Quem é este que até perdoa pecados? "

Jesus disse à mulher: "Sua fé a salvou; vá em paz".

Sabe o que podemos aprender aqui?

Nem passe por sua cabeça que Jesus estava querendo dizer que ele ama muito mais quem erra muito mais.

Na verdade Ele nos chama a atenção para a disposição do coração daqueles cujos erros são tão grandes tão “imperdoáveis” que o amor de Jesus os constrange de tal maneira que eles se doam por inteiro sem reservas, são incansáveis em sua demonstração de gratidão

Enquanto que aqueles que acham que Jesus não tem muito a perdoar, não conseguem se entregar por inteiro a esse amor.

Ao comparar nossas dívidas com a dos devedores exemplificados ele nos alerta dizendo que ambos NÃO PODIAM CANCELAR SUAS DÍVIDAS, uma vez perdoados, ambos continuaram sem dinheiro, totalmente zerados, e que por isso a gratidão e a demonstração de amor deveria ter a mesma proporção.

Enquanto Simão apenas enxergava em Jesus um profeta, alguém que é bom ter por perto, aquela mulher enxergou o que Jesus realmente é, o Filho de Deus que tira o pecado do mundo, que sara nossas feridas, que cura nossa alma, que liberta de nossos maiores temores, que traz vida a nossa vida.

Estamos entrando na chamada SEMANA SANTA, pode ser apenas uma semana como outra qualquer, mas também pode ser uma semana de grandes reflexões, uma semana para olharmos para dentro de nós mesmos e enxergarmos quem realmente nós somos e o que temos feito para demonstrar o tão grande amor de Deus por nós.

Fiquem na Paz!

Feliz Páscoa!!!!

Postar um comentário