domingo, 3 de janeiro de 2010

70 Anos


Ontem comemoramos os 70 anos de minha mãe
Perguntando à ela se imaginava chegar a tanto, ela respondeu o que já tínhamos certeza.
Que não imaginava chegar a tanto.
Minha mãe tem uma história de muitas batalhas,
A começar que sua mãe veio à falecer quando ela ainda era quase um bebê, por volta de seus dois anos.
Seu pai casou-se com uma mulher que vestiu por completo o estereótipo da “madrasta má”
O que uma criança de três, quatro anos podia fazer de tão grave a ponto de quase sempre essa mulher amarrar esta criança ao pé da cama, colocar um ovo cozido quente em sua boca, amordaçá-la e tome cinturada e quando o pai chegava ao fim do dia e perguntava pelas marcas roxas dizia que ela se machucou brincando, minha mãe viveu isso por um bom tempo, até que um dia os vizinhos chamou a polícia e minha mãe foi viver com outra família.
Minha mãe viveu muitas histórias difíceis, mas graças à Deus de todas ela saiu mais que vencedora, e na festa não faltou emoção porque ela estava desfrutando o seu maior presente, a presença de filhos, netas e neto, genro e noras, os namorados das netas e todos a paparicando e a fazendo brincar e dançar.
Olhando para a trajetória de minha mãe, percebemos a verdade descrita por Deus em Jeremias 29:11 - “Eu é que sei que pensamentos tenho a vosso respeito, e os meus pensamentos são sempre de bem e de paz , para vos dar o fim que desejais”.Ainda que por vezes ela tenha dito:
“Senhor eu não agüento mais...”
“Senhor me leva logo...”
“Senhor eu não vou suportar...”
Por muitas vezes também ela pode sentir a presença de Deus quase que a carregando nos braços dizendo:
“Você vai conseguir...”
“Eu te fortaleço, te sustento, te capacito e te ajudo”.
E mais uma vez, olhar para a trajetória de minha mãe, é trazer a memória aquilo que nos dá esperança.
Que temos um Deus, que n’Ele podemos confiar e que ainda por vezes pareça demorado, Ele vai nos dar o fim que desejamos de maneira que possamos desfrutá-lo.

Postar um comentário