quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Maneiras de Amar


Uma vez estava assistindo uma entrevista com Rosinha Garotinho, ex governadora do Rio de Janeiro sobre a convivência com seus nove filhos, onde cinco são adotados. Ela falou de um exercício que ela e o seu esposo fizeram em família onde cada um da sua maneira teria que expressar ao outro, o quanto esse outro era importante em sua vida.
Então cada um do seu jeito expressou sua forma de amar, um fez a comida que o outro gostava, outro fez um cartão original, outro preferiu dizer em palavras,... e ela concluiu este exercício passando pra eles que cada um tem uma maneira de expressar o que sente, nem todo mundo é bom com as palavras, nem todo mundo é tão criativo, mas que eles ficassem atentos aos detalhes, aos pequenos gestos, e compreendessem que nesses gestos estão o dizer “eu te amo”, “você é importante pra mim”.
Achei super interessante este exercício, porque pra se sentir amada, não precisamos e nem podemos exigir que o outro seja ou faça aquilo que entendemos ser a “forma certa” de dizer “eu te amo”.
É muito mais profundo, é tirar os olhos de si mesma e olhar o outro na sua essência, conhecendo-o de fato.
As pessoas são o que são, são como foram criadas, são como o ambiente que cresceram, são como aprenderam a se defender na vida.
Algumas aprenderão a verbalizar o “eu te amo”, a medida que se sentirem seguras e respeitadas num relacionamento, outras, talvez nunca. Provérbios 15:01

"Não deixemos que os espinhos nos atrapalhem de vê a beleza da rosa".

Um Abraço!!!

Postar um comentário